Projetos de Reciclagem Inter-Arte

Projetos de Reciclagem Inter-Arte

Projetos de Reciclagem Inter-Arte

Projetos de reciclagem inter-arte 2018-2021

Parcerias institucionais
Interecycling ​– Sociedade de Reciclagem, S.A.
Zona Industrial do Lajedo – Apartado 8 3465-157 Santiago de Besteiros Tondela – Portugal
Centro de Investigação em Arte, Design e Sociedade – Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Avenida Rodrigues de Freitas, 265 4049-021 Porto | Portugal
Centro de Investigação e Intervenção Educativa – Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Rua Alfredo Allen 4200-135 Porto | Portugal

Introdução

O Inter-Art Recycling Projects (IARP) é apresentado na continuidade de duas outras edições, a última das quais ocorrida em 2015, sobre o título PAUSA, que vêm reunindo a Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto à empresa Interecycling.

Estes projectos pretendem estimular o trabalho de criação artística dos estudantes cruzando-o com os pressupostos do reciclar e valorizar matérias que, num primeiro momento, são definidas como resíduos, desperdícios, excedentes. A adoção de práticas ambientais sustentáveis e preservação do meio ambiente, que baliza as atividades de valorização e reutilização de materiais da Interecycling, têm vindo a ser, nestes projectos, reflectidas no campo artístico, acrescentado pela procura de significação, questionamento ou reflexão, sobre arte, sociedade, consumo, educação, globalização, efemeridade e outros temas, que definirão o nosso futuro.

O Inter-Art Recycling Projects (IARP) vincando estes objectivos, pretende adensar o âmbito de investigação e sedimentação de uma plataforma de pesquisa sobre o cruzamento Arte/Reciclagem/Educação, propondo-se como motor de reunião de vários indivíduos de sectores ligados à formação em artes plásticas, ligados à produção artística e à Educação, com envolvimento no discurso tridimensional, espacial, sonoro, electrónico e de reciclagem.

Este cruzamento parte da valorização do trabalho da criação artística como prática pedagógica assente numa nova forma comunicacional de ensino-aprendizagem e de reflexividade crítica. Nesta perspectiva, o IARP pretende trazer os e as estudantes e a sua criatividade para o centro do processo educativo, envolvendo-os na recolha, produção e disseminação. Mais ainda, partindo do pressuposto que o trabalho criativo cruza diversas disciplinas e campos de saber, este projecto propõe-se contribuir para o campo científico das ciências sociais, em particular, das ciências da educação, ao enfatizar as abordagens visuais como enquadramento epistemológico e metodológico quer das práticas educativas, quer das práticas de investigação. Para tal, as metodologias e produções participativas darão contexto à (re)interpretação de relações de poder, de participação e das rupturas com o senso-comum.

Assim, a par do projecto educativo e de produção artística implementado na FBAUP, será desenvolvida uma investigação qualitativa, em parceria com o Centro de Investigação e Intervenção Educativas (CIIE), da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, da Universidade do Porto (FPCE.UP), focada sobretudo na introdução de teorias e práticas criativas nos processos pedagógicos de ensino-aprendizagem. Esta colaboração interinstitucional abre espaço à integração de doutorandos/as na prossecução e monitorização do projecto IARP.

O Inter-Art Recycling Projects pretende constituir-se num projeto a três anos lectivos, com diversos outputs ao nível de exposições, workshops, conferências e publicações. Pretende-se envolver autores/as e Investigadores/as de relevo no campo nacional e internacional para o âmbito deste projecto, visando a possibilidade de transferência de metodologias, processos criativos e de questionamento conceptual, em interacção com todos os participantes, a comunidade FBAUP e público em geral.

A pertinência destes cruzamentos interdisciplinares vem da urgência em dar respostas aos desafios propostos pela Agenda das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável 2030 e alguns dos seus objectivos globais, focados na educação para o ambiente e para os estilos de vida sustentáveis, a par da valorização crescente que as Artes têm ocupado nas atuais reconfigurações da educação para a cidadania. Deste modo, a vontade em estender estratégias criativas e artísticas que contemplem a sustentabilidade das comunidades ao ensino superior está na raiz deste projecto e da sua contemporaneidade.

 

Objetivos

  1. Criação de um grupo de produção e investigação artística em torno da Arte, Sustentabilidade e Educação
  2. Explorar metodologias e práticas educativas em Artes Plásticas
  3. Repensar nas práticas de ensino aprendizagem através da renegociação do papel do estudante-autor e da relação estudante-docente
  4. Questionar e recriar o lugar dos/as estudantes no contexto de produção artística ao nível do ensino superior
  5. Promover redes nacionais e internacionais de partilha e cruzamentos interdisciplinares
  6. Contribuir para o desenvolvimento de métodos visuais e criativos de investigação

 

Projecto descrição

O Inter-Art Recycling Projects (IARP) propõe-se gerar processos educativos de questionamento e consciencialização, crítica/criativa, das práticas ambientais sustentáveis (reciclar, valorizar e reutilizar material reciclável) no contexto da produção artística contemporânea nacional. Em paralelo, como objectivo integrador, o projecto pretende monitorizar as práticas de formação, que se lhe associam, e de todo o seu complexo, no sentido de se constituir como um observatório, de onde resultará guia de práticas a implantar em projectos de âmbito similar, de práticas de investigação em Artes Plásticas.

Este projecto decorrerá ao longo de três anos lectivos consecutivos com sede na FBAUP, mas que se alargará na articulação com outras faculdades, nomeadamente com a FPCEUP, com instituições congéneres, nacionais e internacionais, e com o público em geral. A estabilização dessa comunidade é ponto fundamental para a organização das acções, sua participação, resultados e monitorização pretendida. Nesse sentido, um número pré-determinado de participantes, percorrerão a totalidade das acções envolvidas neste projecto, ao longo de toda a sua duração, independentemente, de outras participações e público.

Este projecto investe na criação de uma comunidade de aprendizagem que conta com a colaboração de diversos intervenientes (autores/a, docentes, estudantes, investigadores/as) na produção de práticas educativas e artísticas. Procura sobretudo, reconfigurar os processos de ensino-aprendizagem no ensino superior, sustentado na educação pelas Artes e na necessidade premente de incluir preocupações ambientais.

Assim, e após a apresentação pública do projecto e constituição do grupo de participantes, a decorrer em 2018, o projecto terá continuação através de acções de integração/interacção colectiva, desenvolvendo trabalho preparatório, de reflexão sobre conceitos e experimentação oficinal com vista à organização de workshops temáticos, resultantes de convites a autores que, na sua produção artística se envolvem no discurso tridimensional, espacial, sonoro, electrónico e de reciclagem. Cria-se em fundo a possibilidade de transferência direta de metodologias e processos criativos dos criadores aos participantes deste projecto. Questiona-se o modelo de ensino/aprendizagem dos cursos de ensino artístico da FBAUP, não propondo os autores para as dinâmicas do Ensino Superior, mas sim, levando os/as participantes a emergir nas dinâmicas criativas dos autores.

No segundo ano lectivo, já em 2020, os participantes desenvolvem projetos pessoais, formulados no âmbito de investigação do IARP, explorando a sua idiossincrasia artística e o seu processo criativo. Ao longo deste ano autores/docentes convidados, do sector académico nacional e Internacional, numa programação pré-definida (ver calendarização em anexo), vão apresentando ao grupo e ao público em geral, investigações e temas em

torno da Arte, Reciclagem, Educação pelas Artes e Sustentabilidade, em modo conferência/ seminário. Em modo tutorial, acompanharão o grupo de participantes, refletindo as evoluções conceptuais e práticas, dos seus projectos.

A estes autores/docentes convidados, do sector académico nacional e Internacional, bem como aos membros do grupo de coordenação do projecto, será proposto a produção de obras, inserindo-se , também por este meio, através das suas idiossincrasias artísticas e os seus particulares processos criativos e de produção, nas dinâmicas de reflexão partilhada das práticas de investigação em Artes Plásticas, preocupações ambientais e de sustentabilidade.

O último ano do Inter-Art Recycling Projects será de organização de toda a informação coligida, quer em exposições, quer em catálogo produzido pela Intercycling, quer em outputs vários, consequentes das investigações relacionadas com a monitorização das práticas de formação, nomeadamente publicações científicas.

  1. Apresentação pública do projeto (2018)A realizar-se em Outubro/Novembro de 2018, a apresentação decorrerá, em três momentos distintos, junto das entidades colaboradoras do projeto, o i2ADS/FBAUP, CIIE/ FPCEUP e a empresa Interecycling.
  2. Workshops (2019)A decorrerem ao longo de 2019, o conjunto de workshops versarão às áreas da reciclagem eletrônica da imagem e do som (Miguel Pipa), do objeto sonoro e da instalação (João Ricardo Oliveira) e da arte pública (Bordalo II). Pretendem, com eles, dotar os/as participantes de uma base formativa orientadora do seu trabalho oficinal.
  3. Ciclo de Conferências (2020)O ciclo de conferências a decorrer ao longo de 2020, resultará da parceria estabelecida com diversas universidades nacionais e estrangeiras e da integração de investigadores/docentes convidados na realização das conferências e do trabalho tutorial.
  4. Exposição final com edição de catálogo (2021)A exposição dará mostra da produção artística desenvolvida ao longo do projeto.

    O catálogo incluirá toda a produção construída ao longo do projecto [reflexões escritas em formato texto, material fotográfico].

 

Apresentação dos autores convidados para os workshops

Em primeiro lugar, os convidados propostos para elaborarem os workshops no âmbito do
I n t e r – A r t R e c y c l i n g P r o j e c t ( I A R P ) , ​a​ c t u a m n o u n i v e r s o d e a r t e s p l á s t i c a s d e m o d o s m u i t o distintos entre si. Um visível traço comum, entre eles, está precisamente no recurso à reciclagem de elementos da nossa vida urbana, não só tecnológica, eléctrica e digital, mas também, de objectos e de espaços. Trabalham com e a partir desses elementos, envolvendo-os nos seus discursos artísticos, contando com as suas múltiplas dimensões de existência, quer de forma, cor, textura, realidade matérica, quer de imagem, movimento, som, etc.

Em segundo lugar, interessou-nos que estes autores convidados de 1a escolha, para elaborarem os workshops no âmbito do Inter-Art Recycling Project (IARP)​, estivessem afastados ​dos referentes académicos, quer de investigação, quer de produção e que, em contrapartida, estivessem inseridos de modo categórico na realidade do universo profissional das Artes Plásticas, nacional e internacional.

Neste sentido, olhamos para o trabalho de Artur Bordalo, com o nome artístico Bordalo II, como uma oportunidade de compreender a obra de escala pública, envolvendo construção e representação, volume e espaço, cor e textura, enquanto renovação enérgica e genial do escultórico no contemporâneo. No artigo da revista Notícias Magazine, no.1330, de 19 de Novembro de 2017, de Ricardo J. Rodrigues, explorando a relação familiar de Artur Bordalo de ligação às belas artes, entre estudos e produção de obra, conclui-se que ainda trabalha para a harmonia ancestral entre humanos e o espaço que habitam.

Quanto a João Ricardo de Barros Oliveira, interessou-nos a atuação fora das ortodoxias e pré-conceitos da arte, revestindo toda a sua criação de uma enorme liberdade e humor, que nos permite acrescentar dimensões ao seu trabalho, mas ter contenção e respeito no modo como o enquadramos. Desde o estabelecer de personagem, a viver a sua criação, à actuação entre instalação e performance, entre concerto e produção de objectos, nos permite olhar um fazedor e um artista total. Na referência própria, que dá nome ao seu site, LIXO LUXO POÉTICO, que nos leva directamente à atitude de reciclar, até ao OUVER, partilhado com o saudoso amante de Jazz, José Duarte, permite pensar no objeto da escultura, mas também o seu som e a sua manipulação enquanto instrumento de uma performance visual sonora, artística, no seu todo.

Miguel Pipa, por seu lado poderá levar-nos à construção do som através do objecto electrónico. Uma construção, articulação e manipulação de elementos e circuitos deste universo, promove alterações singulares em equipamentos comuns, como tv, brinquedos, telefones, entre outros, que despertam para uma nova realidade entre a arte e a música. Conduzido pela tentativa e erro, pela experimentação e o acaso, Miguel Pipa produz Circuit Bending, reciclando a existência estropiada dos objectos na proposta brilhante e superior do objecto artístico que produz uma identidade sonora singular e irrepetível.

Veja toda a informação no PDF aqui: Interecycling – Project proposal

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close