Pilhas a mais aí por casa? Elas podem ajudar a equipar o IPO

Pilhas a mais aí por casa? Elas podem ajudar a equipar o IPO

Pilhas a mais aí por casa? Elas podem ajudar a equipar o IPO

Tem pilhas e baterias usadas em casa? A Ecopilhas tem o destino adequado para que possa contribuir para preservar o ambiente ao mesmo tempo que ajuda o Instituto Português de Oncologia (IPO). Pelo 9º ano consecutivo, a Ecopilhas, entidade que desde 2002 tem como missão a gestão de um sistema integrado de pilhas e acumuladores usados, lança um peditório nacional de recolha deste tipo de resíduos, que decorrerá até 31 de Dezembro.

Para contribuir para esta campanha de solidariedade, basta colocar as pilhas e baterias que já não funcionam e que foram anteriormente usadas em brinquedos, telecomandos, computadores portáteis, telemóveis, relógios entre outros aparelhos, num dos mais de 20.000 Pilhões existentes em todo o País ou junto dos parceiros aderentes da campanha: lojas da MultiOpticas, lojas do Meu Super ou sucursais do Millennium BCP.

Sabia que uma pilha deixada no solo, vai contamina-lo durante mais de 50 anos?

As pilhas são consideradas um resíduo perigoso, pois contêm no seu interior metais pesados perigosos para o ambiente e para a saúde pública, tais como o Mercúrio (Hg), o Níquel (Ni), o Cádmio (Cd), o Chumbo (Pb) e a Prata (Ag). De todos os metais pesados o Mercúrio é o mais perigoso. A exposição prolongada ao Mercúrio provoca efeitos nefastos no sistema nervosos central. A presença de Cádmio no nosso organismo tem como efeito náuseas, dores abdominais e anemia. Ainda dentro dos metais mais perigosos temos o Chumbo que provoca atrasos no desenvolvimento intelectual das crianças.

As pilhas ao serem abandonadas no meio ambiente sem qualquer cuidado, irão envelhecer, degradar-se e libertar as substâncias químicas que a constituem. Essas substâncias químicas irão levar a que os cursos de água, o solo e o ar sejam contaminados. Estes metais pesados entram também na cadeia alimentar. Absorvidos por animais e plantas, que as concentram nos seus tecidos, vão posteriormente aparecer à nossa mesa sob forma de marisco, peixe, carne, hortaliças e outros alimentos.

 

By continuing to use the site, you agree to the use of cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close